terça-feira, 16 de novembro de 2010

Review - Episódio 1x03 "Tell It to the Frogs"


“The Walking Dead” chega em seu terceiro episódio com força total, e faz uma pausa para respirar e desenvolver seus personagens.

O grande diferencial de Tell It to the Frogs foi que, mesmo sendo mais focado na história e no drama, e com poucas cenas de ação, o episódio não foi chato. Pelo contrário! Ele provou que, definitivamente, "The Walking Dead" não é uma série sobre zumbis, mas sim sobre a vida dos sobreviventes e suas diversas reações frente às consequências do apocalipse. E o trunfo da série está justamente em algo que, atualmente, poucas séries fantasiosas possuem: seus personagens são tão carismáticos que é difícil não se interessar por suas histórias.

A começar por Rick, que reencontra sua família na cena mais emocionante da série até agora. E Lori, que havia conquistado meu ódio no episódio passado, começou a fazer mais sentido para mim. Afinal, ela achava que Rick estava morto, e precisava de um novo “pai” para seu filho – e, depois de cenas como a que fala com Carl sobre se barbear, ou a que ensina o garoto a caçar rãs, Shane se mostrou o candidato ideal para o cargo. Mas agora, com o retorno de Rick, ele e Lori estão se sentindo culpados pelo que fizeram, e tenho certeza que, quando essa bomba explodir, as conseqüências serão devastadoras. A reação de Shane já começou a ser sentida quando ele, após uma discussão com Lori, descontou toda sua raiva socando Ed, o marido de Carol – não que o cara não tenha merecido. Aliás, gostei muito da história de Carol mostrada na série, ainda que bem diferente da das HQs, a instabilidade e insegurança da personagem foram mantidas.

O grupo de sobreviventes também está mostrando uma sintonia incrível, fato que pode ser notado em cenas como a da reunião na fogueira, ou quando as mulheres conversam bobagens enquanto lavam roupa. São esses pequenos detalhes que fazem dos personagens de “The Walking Dead” pessoas tão comuns quanto eu e você, com seus problemas, segredos e monstros interiores, o que garante a afeição do público.

Porém, Tell it to the Frogs não foi isento de erros. Quando o episódio finalmente começava a engrenar, ele acaba, deixando aquela sensação de capítulo do meio, de história sem final – ainda que a cena final tenha sido muito, mas muito instigante. Também a briga entre Andrea e Ed na pedreira soou forçada e sem o menor sentido.

Morte de zumbi da semana:

Essa semana, tivemos só duas mortes de zumbis, mas o prêmio vai para a decapitação do zumbi na floresta. A cena teria sido até “comum” se a cabeça da criatura não tivesse continuado a se mexer (?!). Bizarro...

2 comentários:

Vinícius disse...

Mesmo não acompanhando a HQ (o que pretendo fazer), senti que a série precisava de um episódio assim para desenvolver melhor a história 'individual' de cada personagem. Não tive a sensação de episódio inacabado e sim uma extrema vontade de ver o próximo. Anyway, estava procurando um blog completo sobre a série e me surpreendi com a qualidade desse aqui. Já segui, favoritei e pretendo acompanhar sempre.

Caio disse...

Vinícius, fico feliz que você tenha gostado do blog. Os elogios e críticas são sempre bem-vindos!

Falando nisso, eu amei o final do episódio. Deixou um gancho interessantíssimo para o próximo, e foi por isso mesmo que eu impliquei com o final: eu não consigo esperar uma semana inteira para ver o final dessa história! Essa ansiedade toda me mata!

Mais uma vez, obrigado pelo comentário!